junho 01, 2006

Beja?!... Mais valia mandarem-me para Cabul!

Um dos problemas que tolhe a economia portuguesas é a falta de mobilidade. Em média, um cidadão norte-americano viverá, ao longo da vida, em quatro cidades diferentes. Nascerá em Jefferson, obterá o primeiro emprego em Boston, arranjará outro emprego em Nova Iorque, será promovido para Los Angeles e reformar-se-á em Miami. E os europeus cada vez mais os imitam, aproveitando o espaço Schengen. Os portugueses, pelo contrário, parecem hamsters. Em 2005, os Centros de Emprego receberam 4000 inscrições na área dos serviços e apresentaram 4000 oportunidades de emprego na mesma área, nenhuma das quais foi aceite, porque ninguém quer abandonar a santa terrinha. Tendo de viajar para uma maternidade distante e portanto habituados logo à nascença ao estilo de vida on the road, talvez os portugueses passem a ser mais Bruce Chatwin e menos Stephan Hawkings.

4 comentários:

jose disse...

Caro vitor elias

Aproveito a oprtunidade para o felicitar pelas magníficas crónicas no Publico do ano passado em Agosto.
Terminei há pouco tempo a leitura do livro "produçoes ficticias 13 anos de insucessos" e concordo com o que diz o vosso director que há um IP antes dos irmãos de Barrancos e um IP após.
Juntamente com Mário Botequilha são de facto a espinha dorsal do IP
Em tempos previ que pudessem vir a ser contratados por clubes de nomeada a nivel europeu, deixando o IP terrivelmente desfalcado
Foi o tema que escolhi quando me candidatei a estagiário do IP, mas fui eliminado, decerto por manifesta falta de piada...

Continuação de inspiração são os meus votos!!

Barão da Tróia II disse...

Uma coisa que tolhe a economia Portuguesa é a sua não existência, tudo o resto são cantigas. Bom fim de semana

VE disse...

Caro barão, a economia portuguesa é como, para os espanhóis, as bruxas: não acredito nela, mas que existe, existe (no mesmo sentido em que também existe a economia do Ruanda)... Abraços, barão.

Caro José (eu não sei responder a cada pessoa individualmente, sou um dos info-excuídos que o José Sócrates quer resgatar da ignorância), não desista de ter piada. O nosso país oferece excelente matéria-prima. Outro abraço.

Anónimo disse...

Keep up the good work »