outubro 05, 2006

PEQUENO DICIONÁRIO
ILUSTRADO DE FILOSOFIA

Numa altura em que o Ministério da Educação decidiu, em mais uma ideia peregrina, retirar a disciplina de Filosofia dos exames nacionais de acesso ao ensino superior, deixo aqui alguns exemplos de grandes filósofos que, ao longo dos séculos, iluminaram e alargaram o conhecimento humano.


SÃO TOMÁS DE AQUINO

São Tomás de Aquino nasceu no século XIII, no castelo de Roccasecca, na Campânia, da família feudal dos condes de Aquino. Apesar de estar ligado às famílias reais de França, Sicília e Aragão, Tomás de Aquino cortou os laços com a sua influente família e abraçou a causa dos frades dominicanos, tal como os filhos das famílias bem da Lapa entram no Bloco de Esquerda. Tendo conquistado o respeito de toda a Igreja, como teólogo exemplar, Tomás de Aquino seria conhecido, ainda em vida, como Doctor Angelus, mas nunca gostou desse cognome, porque o fazia parecer uma personagem da Marvel.


AVERRÓIS

Averróis, grande filósofo árabe do século XII, nasceu em Córdoba, na altura província muçulmana, depois de os árabes terem invadido a Península Ibérica em busca de armas de destruição maciça. O seu nome era Abu al-Walid Muhammad Ibn Ahmad Ibn Munhammad Ibn Ruchd, mas não dava muito jeito às pessoas quando o chamavam na rua. Averróis foi, no seu tempo, o grande comentador de Aristóteles, como o Rui Santos é, no nosso tempo, o grande comentador do campeonato nacional.






ISAIAH BERLIN

Isaiah Berlin nasceu em Volshonok, tendo testemunhado dois acontecimentos marcantes na sua vida: a Revolução de Outubro de 1917 e a perda da virgindade da sua vizinha. Já professor em Oxford, foi confundido pelo Winston Churchill com o cantor norte-americano Irving Berlin, tendo insistido com o filósofo para cantar, com voz de cana rachada, Hooooooooooooo, come on and hear, come on and hear, Alexander’s Ragtime Band! Coooooooooooome on and hear, come on and hear, it’s the best band in the land!, tendo depois Churchill obrigado o autor da obra “Two Concepts of Liberty” a tocar e cantar o clássico White Christmas, apesar de ser Agosto e de Isaiah Berlin não saber tocar piano.




FRIEDRICH NIETZSCHE

Friedrich Nietzsche, filósofo alemão, defendeu em obras como Über Wahrheit und Lüge im aussermoralischen Sinn (“Sobre a Verdade e a Mentira em Sentido Extra-Moral”), Ecce Homo (“Eis O Homem”) ou Also sprach Zarathustra (“Assim Falou Zaratustra”), o ateísmo e a superioridade do Homem perante qualquer código moral absoluto. Na obra póstuma Vom Einfluß der Würste im sexuellen Leben der Deutschen (“Da Influência das Salsichas na Vida Sexual dos Alemães”), Friedrich Nietzsche defendeu que a ingestão de salsichas de Viena era a causa da superioridade da raça ariana.

2 comentários:

ana disse...

:D

VE disse...

A minha esperança é que esta colecção seja publicada e oferecida pelo "24 Horas", por apenas mais 3€.