fevereiro 18, 2006

Se isto continua assim, qualquer dia os países africanos ainda têm bandeiras monocromáticas



A Taça das Nações Africanas acabou. Muitos comentadores queixam-se da falta de organização do torneio. Eu, pelo contrário, acho que está demasiadamente organizado. A CAN devia apelar às suas verdadeiras raízes. Por exemplo, na final do torneio, em vez de distribuírem medalhas pelos jogadores que conquistarem o troféu, deviam distribuir as orelhas do adversário. E no grande momento apoteótico, em vez de o capitão da equipa levantar uma taça de prata, devia levantar a cabeça decepada do treinador da equipa derrotada. Ver, por exemplo, um Didier Drogba a dar uma volta ao estádio com a cabeça do Roger Lemérre debaixo do braço, ora aí está algo que eu gostava de ver o Rui Santos comentar.